Feicon 2018 + Look do dia

Olá pessoal, tudo bem?

Ontem fui visitar mais uma feira de Construção e Arquitetura, a Feicon Batimat. A Feicon e a Revestir (que eu fui no mês passado, tem post aqui) são duas feiras bem conhecidas realizadas em São Paulo e atraem profissionais de vários lugares.

IMG-20180411-WA0006

A Revestir é mais voltada para a apresentação das novidades das marcas de revestimentos e até itens como eletrodomésticos, cubas e peças sanitárias.

Já a Feicon abrange outras áreas da construção, como a parte de instalações e obra mesmo (infraestrutura, sistemas de construção e canteiro de obra).

Fazia alguns anos que não visitava a Feicon, pois a Revestir é mais interessante para o meu trabalho e também por ser mais perto de onde eu moro. Mas resolvi ir visitar esse ano a convite do pessoal da Telhanorte e foi um dia bem interessante.

A melhor parte foi a de iluminação, pois conseguimos conhecer não apenas os lançamentos de luminárias (estética), mas também os novos produtos lançados, como as lâmpadas com caixa de som, iluminação dimerizada e com troca de cor a partir de um aplicativo no celular da Taschibra ou o sistema de acendimento em 3 etapas da Elgin para luminárias e pendentes (1: acende a iluminação indireta, mais confortável; 2: acende a iluminação mais forte, de trabalho; 3: acende os dois tipos de iluminação ao mesmo tempo).

Agora falando em look, pensa em uma pessoa que estava morrendo de vergonha de tirar fotos lá, então escolhi apenas uma que estava melhorzinha para mostrar. Fui com uma sandália baixa porque o que mais fazemos nessas feiras é andar, então o conforto vem primeiro… rs.

IMG_20180411_174236_959

Então é isso.

Tks,

Jéssica.

Frases de músicas

Olá pessoal, tudo bem?

Eu gosto muito, mas muito mesmo de música. Meu estilo musical é bem eclético, mas sou apaixonada em músicas dos anos 80 e romantiquinhas, rs.

Hoje separei algumas frases legais de músicas (da minha playlist antigona hahaha) para escrever na agenda (se você é das antigas e curte um papel) ou compartilhar nas redes sociais mesmo 😉

“Take these broken wings and learn to fly again and learn to live so free”

Mr. Mister – Broken Wings

(Pegue suas asas quebradas e aprenda a voar de novo e aprenda a viver tão livre)

“But it’s never too late to start again, take another breath and say another prayer”

Aerosmith – Fly Away From Here

(Mas nunca é tarde demais para recomeçar, para respirar de novo e fazer uma outra oração)

“What doesn’t kill you makes you stronger”

Kelly Clarkson – Stronger

(O que não te mata te fortalece)

“Take your passion and make it happen”

Irene Cara – What a Feeling

(Pegue sua paixão e faça acontecer)

“So many dreams swinging out of the blue we let them come true”

Alphaville – Forever Young

(Tantos sonhos aparecendo do nada nós os tornaremos realidade)

Então é isso 🙂

Tks,

Jéssica.

Expo Revestir 2018

Olá pessoal, tudo bem?

Entre os dias 13-16 de março aconteceu a Expo Revestir, que nada mais é do que uma feira de lançamentos de revestimentos, louças e peças sanitárias.

Essa feira é como se fosse a Fashion Week da Arquitetura, pois é nela que conhecemos todas as novidades do seror para o ano.

Encontrei alguns amigos arquitetos por lá e conferimos os diversos stands, com destaque para as marcas Portobello, Portinari (que vem com uma coleção incrível inspirada nas obras do pintor Cândido Portinari), Castellato, Tramontina e Deca (que fez uma super apresentação da linha de chuveiros com a musica Smell Like Teen Spirit do Nirvana – até filmei um trecho, vou postar lá no meu Instagram profissional @jessicapratesarq).

Seguem algumas fotos do que encontramos por lá 😊

Fotos: algumas minhas e a maioria foram tiradas por meus amigos Felipe e Endyara 😉

Então é isso.

Tks,

Jessica.

Guilty pleasures

Olá pessoal, tudo bem?

Vocês já ouviram falar em guilty pleasures?

Guilty pleasures, em tradução livre, significa prazeres culposos, ou seja, aquilo que você gosta de fazer, ou ouvir, ou assitir, mas que não é algo aceito socialmente por ser “brega” ou “vergonhoso”, sabe?

Então, todos nós temos aquelas coisas que fazemos mas que não contamos a nignuém por vergonha mesmo, hahaha.

Hoje vou compartilhar com vocês meus gostos duvidosos, mas só porque eu não conheço vocês! hahaha (não vou compartilhar esse post no Facebook só porque sim….).

GLEE

glee

Sim, eu gosto! Assisti a série umas 2x porque gosto de filmes/séries adolescentes hahaha, que é o próximo item da lista;

Mas é porque eu amo musicais (outro guilty pleasure?). Eu até fico envergonhada quando eles começam a cantar, mas depois começo a cantar e dançar junto também.

Vale dizer que depois eu fico revendo as melhores partes? hahaha

FILMES E SÉRIES ADOLESCENTES

Sei que estou mais perto dos 30 do que da adolescência, mas simplesmente não consigo deixar de assistir este gênero. E estou falando em títulos vergonhosos, tipo High School Musical e Hanna Montana, hahaha.

high school musical GIF
 Quem nunca assistiu uns filminhos desses quando estava de bobeira?
ANOS 80
Eu nasci em 90, mas sou apaixonada pelas músicas (e filmes) dos anos 80. Ok, isso não é um guilty pleasure porque realmente muitas músicas dessa década são ótimas (muito melhores do que as atuais #prontofalei), mas eu gosto muito, muito mesmo da “Era Disco”. Sabe “Os embalos de sábado à noite”? Tipo isso, rs.

VÍDEOS DE FAXINA

Ai que vergonha alheia compartilhar isso aqui, mas uma das minhas programações favoritas do Youtube é assistir vídeos de pessoas fazendo faxina.

Nem me pergunte o por quê, mas vire e mexe estou assistindo um hahaha.

Bom, chega de passar vergonha por aqui…

E você, já pensou quais são as coisas que você gosta mas tem vergonha de compartilhar?

Tks,

Jéssica.

Do que você tem medo? #precisavaescrever

Olá pessoal, tudo bem?

Já começo esse post com essa pergunta: Do que você tem medo?

É certo que todos nós humanos temos medo de alguma coisa. Alguns medos são mais “físicos” (medo de nadar, de animais, de voar de avião), alguns são mais sobrenaturais (rsrs) e outros são mais psicológicos, sabe? Medo de errar, de se apaixonar, de não alcançar o que gostaria para a vida…

Mas você já ouvir falar em medo de conseguir, de dar certo? Parece estranho, não é? Mas esse é um dos meus medos, rs. Toda vez que eu penso em algo que eu nunca fiz na vida e que eu gostaria de fazer ou que acontecesse, eu fico com medo de tentar e dar certo…

Um exemplo: tive quase uma oportunidade de mudar de emprego durante a faculdade, para estagiar em uma construtora grande, com maiores opertunidades de crescimento e eu até tinha contatos lá dentro, mas tive medo de tentar e realmente conseguir, então nem tentei… haha (soa até um pouco presunçoso da minha parte…).

No fundo eu sei que não é medo de conseguir, de conquistar, mas do que fazer, como lidar com a situação quando eu chegar lá, sabe?

vai-e-se-der-medo-vai-com-medo-mesmoEu ainda não sei lidar muito bem com isso, mas racionalmente eu sei que preciso encarar. Então toda vez que eu penso em desistir em cada oportunidade, eu paro, respiro e penso: com medo ou sem medo eu posso e vou fazer!

Em 2 Timóteo 1:7 está escrito: “Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio“. E eu sempre penso em Deus também, pois eu sei que em qualquer situação ele está ali para me ajudar tanto de dentro pra fora quanto de fora para dentro.

E vocês, como lidam com seus medos? E novamente, do que vocês têm medo?

Tks,

Jéssica.

 

 

 

Leitura do mês – Amor de Redenção

Olá pessoal, tudo bem?

Sumi por uns dias mas estou de volta!

Sexta-feira passada terminei minha leitura de fevereiro e já estou pensando qual será o próximo livro. Estou levando a sério esse propósito de ler pelo menos 1 livro por mês, como contei no post sobre metas para este ano.

Esse mês reli um dos meus livros preferidos: Amor de Rendenção. O livro conta a história da Angel, que foi vendida para a prostituição aos 8 anos de idade e só conheceu coisas e pessoas ruins ao longo de sua vida. Até que aparece Michael, um fazendeiro cheio de fé (e que conversa muito com Deus), que se apaixona por Angel e resolve “resgatá-la” de sua vida, mostrando-a como o amor e a fé podem ser poderosos o suficiente para transformar vidas.

É um romance lindo, que fala sobre o amor físico e o amor de Deus e é baseado na história bíblica de Oséias e Gômer.

A autora, Francine Rivers, é tão sensível na escrita que consegue nos mostrar os sentimentos mais profundos de seus personagens. O livro é escrito em terceira pessoa, mas conseguimos mergulhar nas personalidades, pensamentos e emoções de cada personagem, inclusive os coadjuvantes. É engraçado perceber certos posicionamentos e atitudes de Angel e Michael no começo do livro e como eles vão mudando/amadurecendo ao longo da história.

É uma obra  inspirada por Deus em suas 453 páginas (que você devora rapidamente, pois a leitura é agradável e nos prende, sabe?) e que eu indico para todas as pessoas.

Se há uma percepção das várias que o livro nos apresenta é: a forma como nós fomos criados, o meio em que vivemos e as coisas que aprendemos ao longo da vida (sejam palavras, ações, comportamentos) nos moldam no que somos, são as nossas “bagagens”, e é muito difícil nos libertarmos de algumas delas sozinhos.

Uma observação: me identifiquei muito em algumas reações e pensamentos da Angel durante a história. Sabe aquela coisa de autodefesa desnecessária e de abafar certos sentimentos? Às vezes faço isso sem perceber… rs.

Então é isso.

Tks,

Jéssica.